Connexions>Conexões (rapidinha!)

25/09/2009 § 1 Comentário

Olá Brasil!

Hoje foi a abertura da exposição CONNEXIONS>CONEXÕES (de la nouvelle scène graphique | do novo panorama gráfico), aqui em São Paulo, no SESC Pompéia. Eu estava lá para conferir as obras e fiquei extremamente feliz: muita qualidade, muita inspiração aos visitantes! Vale a pena ir conferir (e depois comentar aqui o que achou!)

Por hoje eu só deixo essas poucas palavras. Em breve, no fim de semana (eu espero!), eu posto um texto falando mais sobre essa ótima mostra. Fico por aqui, mas deixo o link das fotos que eu tirei hoje, digamos assim um “aperitivo” para vocês.  Clique aqui e veja!

Clique aqui e leia o post completo! =)

_
Connexions>Conexões
Onde: SESC Pompéia | Rua Clélia, 93 – São Paulo
Até 21/11/2009
Terça a sábado, das 10h às 21h | Domingos e feriados, das 10h às 20h

Anúncios

O Olhar Direto de Paul Strand

21/09/2009 § 1 Comentário

texto por Augusto Gomes

Quem é fã de fotografia e mora em São Paulo não tem motivos para reclamar de 2009. Este ano, a cidade vem recebendo excelentes exposições – a mais recente delas é a dedicada a Henri Cartier-Bresson, que estreou semana passada no Sesc Pinheiros. Mas não é sobre o mestre francês que vamos escrever nesse post. O mestre é outro: o americano Paul Strand.

strand01

O Museu Lasar Segall, na Vila Mariana, exibe até o próximo domingo (27) uma retrospectiva com mais de 100 fotografias de Strand. A mostra leva o subtítulo de “Olhar Direto”. O nome tem uma boa explicação, já que “direto” talvez seja o melhor termo para definir seu estilo.

Strand começcou a fotografar nos anos 1910. Com uma câmera escondida, vagava pelas ruas de Nova York, capturando instantâneos da metrópole. Depois, interessou-se pela vida nas pequenas cidades, e fez ensaios na França e Itália, entre outros países. Nesses trabalhos posteriores, fotografavas as pessoas de frente, olhando diretamente para a câmera.

strand02

São esses retratos as obras mais marcantes de Strand. Neles, as pessoas parecem ter uma vida que sai da foto e chega até nós. Além das fotos, a exposição também tem um curta que ele dirigiu em 1921 junto com o artista plástico Charles Sheeler, com imagens de Nova York.

A exposição tem entrada gratuita e fica em cartaz no Museu Lasar Segall (Rua Berta, 111, Vila Mariana) até domingo (27), das 14h às 19h (18h no domingo).


_

Agradecimentos especiais ao Augusto pelo texto especial aqui para o blog! :)

Objeto#5 Caderno de Rascunhos

20/09/2009 § 2 comentários

Depois de três meses voltamos à nossa rotina aqui no blog, então hoje, vou escrever um pouco sobre uma certa “doença” que eu tive por um objeto e o que isso me levou a fazer.

moleskine

Já faz algum tempo que eu fiquei com muita vontade de ter um Moleskine, mas por diversos motivos eu acabei não comprando. Acho que o principal fato foi a utilização que ele teria: servir de caderno de rascunhos. Pode parecer bobagem, mas achei que não combinaria. Vou explicar a minha visão sobre o assunto: acho que um caderno de rascunhos (sketchbook) precisa ser algo BEM pessoal, ao ponto de ter a sua cara e precisar ter o “seu toque”. Claro que isso deriva de uma série de pensamentos meus e que também não impedem de você pegar seu querido-e-lindo-e-novo Moleskine e personalizá-lo ao seu jeito.

Enfim, disso saiu o meu caderninho (que nem de longe, se parece com um moleskine sofisticado), vejam:

meu caderninho 1

meu caderninho 2

Mas o post em si não é só pra falar que eu consigo fazer um caderninho rudimentar com os restos de materiais que tenho aqui em casa. Como eu disse lá em cima, eu tinha essa vontade de ter um moleskine/sketchbook/caderninho, mas a coisa toda de ter algo personalizado veio de quando eu descobri esse lugar e seus produtos: Portfólio – Ateliê de Encadernação.

portfólio ateliê de encadernação

A Portfólio fica na Vila Madalena (ali na Mourato Coelho) e além de vender diversos tipos de produtos também tem cursos de encadernação. Entre no blog deles e se delicie. E não deixe de visitar a loja, que é muito simpática! Por hoje, é isso.

Flicts

08/09/2009 § 2 comentários

Pra retornar (e retomar) ao blog, eu decidi escrever sobre algumas coisas específicas que me influenciaram (e influenciam muito), dentro e fora do campo profissional. Inaugurando essa pequena série pessoal vou postar sobre um pequeno livro que eu gosto muito e que me faz ter muita vontade de criar. É um livro ilustrado, um livro infantil, um livro cheio de força: Flicts, do grande Ziraldo.

Flicts, do Ziraldo

Ziraldo, que é uma figura reconhecida em diversos campos, publicou esse livro há 40 anos (sua primeira edição data de 1969). Partindo com muita simplicidade, Ziraldo cria uma história simples e tocante (uma cor a procura do seu lugar no mundo) que possibilita uma diversa gama de leituras e interpretações. Com a simplicidade desse enredo, cheio de possibilidades e extremamente visual, ele põe a ilustração como elemento chave, e as cores como as grandes protagonistas. Pondo à mesa uma estética moderna e indícios minimalistas, Ziraldo traz esse mundo de referências para as ilustrações do livro, carregando-o de força e significação, utilizando todas as possibilidades expressivas das cores.

flicts vermelho flicts amarelo

flicts azul

Assim, o que eu posso recomendar é: leia essa pequena obra. É uma singela aula sobre a cor, a ilustração e, porque não, sobre a vida. :)

_

UPDATE: acabei de ver no lindo blog amenidades do Design, uma pequena seleção de cartazes do Ziraldo, que estão compilados no livro do Ricardo Leite (Ziraldo em Cartaz). Confiram! =)

Where Am I?

You are currently viewing the archives for Setembro, 2009 at interessa?.